Celebrating 13 years online
junho 9, 2022
“Boston George”: Johnny Depp em série documental sobre George Jung

Johnny Depp será um dos entrevistados em “Boston George: Famous Without the Fortune”, série documental em cinco episódios sobre o notório contrabandista George Jung.

“Boston George” terá seus dois primeiros episódios lançados em 22 de julho no serviço de streaming Fandor (não disponível em versão brasileira).

Além de Depp – que interpretou Jung no filme “Profissão de Risco” (“Blow”), de 2001 -, fazem aparições o escritor Bruce Porter, Ronda Clay Spinello (parceira de GJ), o amigo Waino “Tuna” Tuominen, o ex-agente disfarçado da DEA Tom Tinnerington e o agente especial da DEA Mike McManus, responsável pela apreensão de Jung.

George Jung, apelidado de Boston George e El Americano, foi uma figura importante no comércio de cocaína nos EUA nos anos 1970 e início dos anos 1980. Ele e seu parceiro Carlos Leader trabalharam para o Cartel Colombiano de Medellín contrabandeando cocaína para os EUA. Jung foi condenado a 70 anos de prisão em 1994 por acusações de conspiração, mas foi libertado em 2014.

Sua história foi contada no livro “Blow: How a Small Town Boy Made $100 Million with the Medellín Cocaine Cartel and Lost It All”, best-seller escrito por Bruce Porter.

Assista ao trailer oficial e a mais vídeos promocionais a seguir.

Continue…

junho 9, 2022
Jeff Beck e Johnny Depp anunciam o álbum “18”; assista ao videoclipe do primeiro single

Jeff Beck e Johnny Depp lançaram hoje (09) o videoclipe oficial do single “This is a Song for Miss Hedy Lamarr”, canção composta por JD e faixa do álbum da dupla, “18”, que será lançado em 15 de julho.

Leia abaixo a tradução de reportagem do Blabbermouth, que traz detalhes sobre o disco.

Jeff Beck encontrou uma alma gêmea em Johnny Depp quando os dois se conheceram em 2016. Eles se uniram rapidamente por causa de carros e guitarras e passaram a maior parte do tempo juntos tentando fazer o outro rir. Ao mesmo tempo, a apreciação de Beck pelas habilidades sérias de composição de Depp e seu ouvido para a música cresceu. Esse talento e sua química convenceram Beck de que eles deveriam fazer um álbum juntos.

Depp concordou e eles começaram em 2019. Nos três anos seguintes, eles gravaram uma mistura de originais de Depp junto com uma ampla variedade de covers que abordam tudo, desde Celtic e Motown, até Beach Boys e Killing Joke. Em 2020, durante a pandemia, eles anteciparam sua colaboração com o cover oportuno de “Isolation”, de John Lennon.

O álbum de 13 faixas, chamado “18”, será lançado em 15 de julho. Beck explica o título do álbum: “Quando Johnny e eu começamos a tocar juntos, isso realmente acendeu nosso espírito jovem e criatividade. Brincamos sobre como nos sentíamos com 18 [anos] novamente, então isso se tornou o título do álbum também.”

“18” estará disponível em CD e digitalmente, com uma versão em vinil preto de 180 gramas chegando em 30 de setembro. A capa apresenta uma ilustração de Beck e Depp com 18 anos, e foi desenhada e projetada pela esposa de Beck, Sandra. Todos os formatos estão disponíveis para pre-save/pre-add.

Antes do lançamento de “18”, Beck lançou uma turnê europeia, com Depp como convidado especial, que terminará em 25 de julho no L’Olympia em Paris.

Continue…

junho 1, 2022
Johnny Depp sobe ao palco de Jeff Beck no Reino Unido

Jeff Beck está em turnê pela Europa e, em sua passagem pelo Reino Unido, contou com a presença de Johnny Depp em seu palco.

Nos dias 29, 30 e 31 de maio, JD apresentou-se ao lado do guitarrista em Sheffield e em Londres, na Inglaterra. Assista aos clipes e ao vídeo completo de uma das apresentações abaixo. Imagens do show de ontem e de uma sessão de fotos assinada por Ross Halfin foram adicionadas à galeria.


Continue…

junho 1, 2022
Justice For Johnny Depp – Veredito

Hoje, 01 de junho de 2022, os sete jurados designados para o caso Johnny Depp versus Amber Heard, julgado no Tribunal do Condado de Fairfax – Virgínia, EUA, chegaram a uma decisão.

O veredito deu ganho de causa a Johnny Depp. Isso significa que sua ex-esposa o difamou através do artigo publicado em dezembro de 2018 no Washington Post.

A leitura da deliberação, prevista para as 4 da tarde (horário de Brasília), foi atrasada em alguns minutos. O júri não havia declarado em seu formulário quanto em danos eles iriam conceder a uma ou ambas as partes.

A juíza Penney Azcarate examinou os papéis e disse a eles: “Preciso devolver os formulários para vocês.”

“Quando vocês encontram uma declaração difamatória, uma ou mais, vocês precisam preencher os danos compensatórios. Tem que ser pelo menos um dólar, até o que vocês acharem que os danos devem ser.”

“Para danos punitivos vocês podem colocar um zero ou podem preencher isso também, mas eu preciso dessas linhas preenchidas.”

O dano punitivo, “punitive damage”, está “relacionado a uma penalidade além do que é devido pelo prejuízo causado, de forma a desestimular o ofensor [o réu] a reincidir na ação que provocou o dano moral.” (Via Jus.com.br).

Após a resolução dessa questão, a decisão foi divulgada.


O júri decidiu de forma unânime a favor de Johnny Depp – a declaração de Heard na manchete do artigo era falsa, difamatória e foi feita com malícia.

Depp recebeu US$ 15 milhões – US$ 10 milhões em danos compensatórios e US$ 5 milhões em danos punitivos. Este último valor será reduzido para US$ 350.000, o que se deve aos limites estatutários no estado da Virgínia.

Heard ganhou uma de suas três acusações contra Depp. Ela contra-processou o ator por comentários feitos por seu advogado, Adam Waldman, para o Mail Online em 2020. Recebeu US$ 2 milhões – muito menos do que os US$ 100 milhões que estava buscando.

Ben Chew e Camille Vasquez, advogados de JD, deram uma breve declaração do lado de fora do tribunal.

Eles disseram que as alegações de Heard eram claramente “difamatórias e não apoiadas por nenhuma evidência” e que estavam “muito gratos ao júri por suas deliberações cuidadosas”.

“Também estamos muito satisfeitos que o julgamento tenha ressoado para tantas pessoas… que valorizam a verdade e a justiça”.

Eles acrescentaram que estavam “verdadeiramente honrados” por trabalhar com Depp no caso e que agora era “hora de virar a página e olhar para o futuro”.

Assista aos vídeos da leitura e da declaração de Chew e Vasquez aqui e aqui.


Por estar trabalhando no Reino Unido, Johnny Depp não compareceu ao tribunal. No entanto, ele publicou uma bela declaração em seu Instagram. Leia a tradução abaixo.

Há seis anos, minha vida, a vida dos meus filhos, a vida das pessoas mais próximas a mim e também a vida das pessoas que por muitos e muitos anos me apoiaram e acreditaram em mim foram mudadas para sempre.

Tudo em um piscar de olhos.

Alegações falsas, muito sérias e criminosas foram feitas a mim através da mídia, o que desencadeou uma enxurrada interminável de conteúdo de ódio, embora nenhuma acusação formal tenha sido feita contra mim. Isso já tinha viajado ao redor do mundo duas vezes em um nanossegundo e teve um impacto sísmico na minha vida e na minha carreira.

E seis anos depois, o júri me deu minha vida de volta. Estou verdadeiramente honrado.

Minha decisão de prosseguir com este caso, sabendo muito bem a altura dos obstáculos legais que eu enfrentaria e o inevitável espetáculo mundial em minha vida, só foi tomada após uma reflexão considerável.

Desde o início, o objetivo de trazer este caso era revelar a verdade, independentemente do resultado. Falar a verdade era algo que eu devia aos meus filhos e a todos aqueles que permaneceram firmes em seu apoio a mim. Sinto-me em paz sabendo que finalmente consegui isso.

Estou e tenho sido esmagado pela manifestação de amor e colossal apoio e bondade de todo o mundo. Espero que minha busca para a verdade ser dita tenha ajudado outros, homens ou mulheres, que se encontram na minha situação, e que aqueles que os apoiam nunca desistam. Também espero que a postura agora volte a ser inocente até prova em contrário, tanto nos tribunais quanto na mídia.

Gostaria de reconhecer o nobre trabalho da Juíza, dos jurados, da equipe do tribunal e dos xerifes que sacrificaram seu próprio tempo para chegar a este ponto, e à minha equipe jurídica diligente e inabalável que fez um trabalho extraordinário ao me ajudar a compartilhar a verdade.

O melhor ainda está por vir e um novo capítulo finalmente começou.

Veritas numquam perit.

A verdade nunca perece.

Continue…

maio 27, 2022
Justice For Johnny Depp – Dia 25 (Alegações finais)

Após 23 dias interrogando testemunhas e apresentando provas, as equipes jurídicas de Johnny Depp e sua ex-esposa apresentaram hoje suas alegações finais aos jurados no Tribunal do Condado de Fairfax, Virgínia (EUA).

A juíza Penney Azcarate dirigiu-se ao júri antes das alegações finais.

Ela explicou aos jurados as questões que eles precisam considerar ao fazer suas deliberações.

Isso é em relação ao artigo sobre abuso doméstico, escrito em primeira pessoa por Amber Heard no Washington Post, publicado em dezembro de 2018, e declarações feitas sobre a atriz por Adam Waldman, advogado de Johnny Depp, que foram citadas em artigos do Mail Online em 2020.

Depp está processando Heard por difamação em US$ 50 milhões pela coluna do Washington Post, que tinha como manchete: “Eu me manifestei contra a violência sexual – e enfrentei a ira de nossa cultura. Isso tem que mudar”.

Heard não mencionou Depp pelo nome no artigo, mas está claro que o texto é sobre ele.

Heard está processando Depp por US$ 100 milhões pelas declarações feitas por Waldman.

A primeiro disse: “Amber Heard e seus amigos na mídia usam falsas alegações de violência sexual como espada e escudo, dependendo de suas necessidades. Eles selecionaram alguns de seus ‘fatos’ de violência sexual como a espada, infligindo-os ao público e ao Sr. Depp”.

Em uma segunda declaração, ele descreveu as alegações de Heard como “uma emboscada” e “uma farsa”.

Descrevendo um incidente no qual Heard acusou Depp de jogar um telefone nela e destruir seu apartamento em maio de 2016, Waldman foi citado dizendo: “Então, Amber e seus amigos derramaram um pouco de vinho e desordenaram o lugar, colocaram suas histórias diretamente sob a direção de um advogado e publicista e depois fizeram uma segunda ligação para o 911.”

Em um terceiro artigo do Mail Online, Waldman é citado como tendo dito “… chegamos ao início do fim da farsa de abuso da Sra. Heard contra Johnny Depp”.


A advogada de Johnny Depp, Camille Vasquez, foi a primeira a se dirigir ao júri, lembrando-lhes que foi exatamente há seis anos – 27 de maio de 2016 – que Amber Heard pediu sua ordem de restrição contra o ator.

“E ao fazer isso, arruinou sua vida dizendo falsamente ao mundo que ela era uma sobrevivente de abuso doméstico nas mãos de Depp.”

“Pedimos que vocês devolvam a vida ao Sr. Depp, dizendo ao mundo que o Sr. Depp não é o agressor que a Sra. Heard disse que ele é, e responsabilizem a Sra. Heard por suas mentiras.”

“O que está em jogo neste julgamento é o bom nome de um homem, ainda mais do que isso, o que está em jogo neste julgamento é a vida de um homem. A vida que ele perdeu quando foi acusado de um crime hediondo, e a vida que ele poderia viver quando ele for finalmente exonerado.”

Vasquez disse que quando Heard entrou com pedido de ordem de restrição, ela deu dicas a paparazzi e fotos capturaram “o que ela queria que eles vissem – a imagem de uma mulher espancada”.

Mas a marca escura em seu rosto apareceu “seis dias depois de ver Depp pela última vez – era uma mentira”.

Camille Vasquez disse que, embora a peça em primeira pessoa de Amber Heard não mencionasse o nome do ator, estava claramente se referindo a ele.

Continue…

maio 26, 2022
Galeria de fotos atualizada

A galeria do site foi atualizada com as imagens de Johnny Depp no Tribunal de Fairfax, Virgínia nos dias 17 a 19 e 23 a 26 de maio. Clique nas miniaturas ou nos links abaixo para acessar os álbuns.

Continue…

maio 26, 2022
Justice for Johnny Depp – Dia 24

Os depoimentos que compõem a refutação de ambos os lados foram concluídos hoje.

Vamos ao resumo do que disse a última testemunha de Johnny Depp e ao interrogatório feito a ré pela equipe do ator.

Richard Gilbert

Dr. Richard Gilbert é um cirurgião ortopédico que trabalha em Nova York. Ouvimos que ele é especialista em cirurgia da mão, punho e cotovelo e pratica isso há 22 anos.

Ele disse que cerca de um terço de seu trabalho envolve cirurgia, enquanto o restante inclui atendimento de pacientes e trabalho acadêmico, e que realizou cerca de 10.000 cirurgias, “talvez um pouco menos”.

Ele é certificado pelo conselho e membro de várias organizações ortopédicas, além de ter publicado artigos e testemunhado como especialista algumas vezes durante sua carreira.

Gilbert disse ao tribunal que foi solicitado a revisar as evidências relacionadas à lesão no dedo de Johnny Depp, que aconteceu na Austrália em 2015.

Gilbert disse que Depp explicou que uma garrafa de vodka “explodiu”, causando a lesão. O ator acusou Heard de jogar a garrafa; ela nega isso e já deu pelo menos três versões diferentes para o incidente.

Continue…

maio 25, 2022
Justice For Johnny Depp – Dia 23

A equipe jurídica de Johnny Depp seguiu com a contestação do caso de sua ex-esposa.

Hoje foram trazidas testemunhas já aguardadas, como Kate Moss e o especialisata em metadados Bryan Neumeister, e testemunhas “de última hora”, como Beverly Leonard, funcionária de um aeroporto que viu uma agressão cometida por Amber Heard em 2009.

Vamos ao resumo.

Kate Moss

A supermodelo britânica Kate Moss foi a primeira testemunha e prestou depoimento ao vivo via link de vídeo. Ela disse ao tribunal que mora em Londres, mas estava testemunhando em Gloucestershire.

Moss foi chamada como testemunha de refutação após uma alegação feita por Heard no tribunal de que ela havia ouvido que Depp havia empurrado a supermodelo escada abaixo durante seu relacionamento na década de 1990.

Moss e Depp tiveram um relacionamento de 1994 a 1998.

Kate Moss foi questionada sobre um feriado que ela passou com Johnny Depp na Jamaica. “Estávamos saindo do quarto e Johnny saiu antes de mim, e havia uma tempestade. Ao deixar o quarto, escorreguei escada abaixo e machuquei minhas costas. Gritei porque não sabia o que tinha acontecido comigo e estava com dor. Ele voltou correndo para me ajudar e me carregou para o meu quarto e conseguiu atendimento médico.”

Perguntada se Depp a empurrou escada abaixo, ela respondeu “Não”.

“Ele nunca me empurrou, me chutou ou me jogou escada abaixo”, afirmou.

Moss disse que nunca testemunhou em um processo judicial antes. Quando perguntada por que ela queria testemunhar neste, houve uma objeção da equipe jurídica de Amber Heard, que não lhe fez questionamentos.

Continue…