abril 12, 2022
Justice For Johnny Depp – Dia 2

O segundo dia do julgamento do processo que Johnny Depp move contra Amber Heard trouxe as alegações iniciais dos advogados de ambas as partes e o início do depoimento da primeira testemunha de acusação, Christi Dembrowski – irmã de Johnny e presidente da produtora Infinitum Nihil. Ela retornará à corte amanhã para que a inquirição da defesa da ré Heard prossiga.

Alegações iniciais

Representando Depp, os advogados Benjamin Chew e Camille Vasquez foram os primeiros a falar ao júri.

“Alguns de vocês podem reconhecer o Sr. Depp por vê-lo interpretar personagens como Edward Mãos de Tesoura ou Jack Sparrow. Por quase 30 anos, Depp construiu uma reputação como um dos atores mais talentosos de Hollywood, um artista respeitado cujo nome era associado ao sucesso nas bilheterias. Hoje seu nome está associado a uma mentira, uma declaração falsa proferida por sua ex-mulher, a ré Amber Heard, que falsa e injustamente colocou o Sr. Depp como o vilão. Um homem que abusaria violentamente de uma mulher.”

“Este é um caso de difamação, é um caso sobre como as palavras podem ser devastadoras quando são falsas e pronunciadas publicamente. Uma pessoa que faz uma declaração falsa sobre outra pessoa pode ser responsabilizada. Isso porque as palavras importam. Elas pintam um quadro em nossa mente.”

“Por causa disso, as palavras podem evocar fortes emoções e causar danos irreparáveis ​​à reputação de uma pessoa e então – como o Sr. Depp, sua carreira depende de sua reputação […] – esse dano pode ser particularmente devastador.”

Chew argumentou que apesar de o nome de JD não aparecer no artigo que deu causa à ação – escrito por Heard e publicado no Washington Post em dezembro de 2018 – “Todo mundo em Hollywood sabia exatamente do que ela estava falando” e que o texto é um exemplo de “difamação por implicação”.

Chew disse que [o texto] é uma referência clara a uma ordem de restrição que Heard pediu em maio de 2016 – logo após Depp dizer a ela que queria o divórcio – na qual ela alegou ter sido abusada fisicamente.

Ela apareceu no tribunal em 27 de maio daquele ano com um hematoma no rosto que foi fotografado pelos paparazzi. Mas as evidências mostrarão que Heard se machucou para arruinar a reputação de Depp. Depp e Heard não se viam desde 21 de maio: ele havia feito uma turnê europeia com sua banda, a Hollywood Vampires.

“A polícia e outros viram Heard imediatamente após 21 de maio e seu rosto não estava machucado”, disse. Ele ainda afirmou que uma testemunha irá contar ter visto imagens de segurança em que a irmã de Heard dá socos falsos nela e as duas riem.

Camille Vasquez ressaltou que Heard se recusa a admitir que mentiu e agora se aprofundou ainda mais: “Ela não pode recuar. Ela vive e respira essa mentira há anos. Ela vai desempenhar o papel de sua vida neste tribunal.”

“A senhorita Heard é uma pessoa profundamente perturbada, que manipula as pessoas ao seu redor”.

Vasquez descreveu como eles se conheceram em 2009 no set do filme The Rum Diary (Diário de um Jornalista Bêbado). “Ela o perseguiu, o cortejou. Ela fez um grande esforço para conquistá-lo, interpretando a namorada amorosa e funcionou – ele se apaixonou perdidamente.”, disse. Heard “recorreu à violência física, jogando coisas e batendo nele, dizia que ele era um covarde, que não era homem o suficiente porque ele não ficava e brigava com ela.”

Os amigos de Depp viram “bandeiras vermelhas por toda parte” e com o tempo “a verdadeira senhorita Heard começou a surgir”. “Ela o repreendia, gritava com ele, ele tentava apaziguar… mas sempre acontecia de novo”.

Vasquez continuou: “Ele começou a lidar com a senhorita Heard da mesma maneira que fazia quando criança, tentava fugir, mas sua tentativa de sair a enfurecia. Ela equiparou violência e raiva com paixão”.

“Ela se desculpava poeticamente, como se a violência apenas provasse o quão feroz e esmagador era seu amor por ele.”

Continuando, Vasquez afirmou: “Quando o Sr. Depp e a Srta. Heard viajavam juntos – sua equipe tinha que reservar um quarto extra para ele, para que ele tivesse um lugar para ir quando a Srta. Heard ficasse furiosa.” A conselheira matrimonial do ex-casal descreveria Heard como a “agressora” no relacionamento.

Pessoas próximas a ele incentivaram Depp a obter um acordo pós-nupcial. Camille relatou: “Ela ficou indignada com a sugestão de que o Sr. Depp poderia deixá-la. Ela o repreendeu e quando ele tentou sair, ela ficou violenta, tão violenta que ela jogou uma garrafa nele que atingiu sua mão e explodiu, cortando a ponta de um de seus dedos.”

Heard “tentou evitar a humilhação pública e se apresentou como uma nobre sobrevivente e representante do movimento MeToo. Você ouvirá evidências de que a senhorita Heard é obcecada por sua imagem pública. É a prioridade número um dela. Depois que ela recebeu um acordo de US$ 7 milhões do Sr. Depp, ela divulgou um comunicado alegando que não queria nada dele e doaria para o Hospital Infantil de Los Angeles e a ACLU. Mas então ela não fez as doações.”

“Simplesmente, a senhorita Heard se colocou publicamente no papel de uma sobrevivente de abuso doméstico. Não havia como voltar atrás. Quando o Sr. Depp defendeu seu bom nome, a Srta. Heard não pôde recuar.”

Vasquez continuou: “A Senhorita Heard e seus advogados vão lhe contar algumas histórias verdadeiramente horríveis de abuso. Elas são projetadas para chocar você e oprimi-lo, elas são projetadas para serem explosivas e distraí-lo do senso comum que lhe dirá que é tudo mentira. Nenhum incidente de abuso poderia ter acontecido como a Srta. Heard afirma. Ela conta mentiras e encobre essas mentiras com ainda mais mentiras em uma história em constante mudança e evolução cada vez mais dramática.”

Vasquez admitiu que Depp passou por “uma verdadeira luta contra o abuso de substâncias”, mas “lutar com drogas e álcool não faz de você um agressor. Ele também usou uma linguagem muito colorida, ele usa palavras que eu não uso e você provavelmente não usa e ele as usa com frequência. O Sr. Depp não é perfeito, mas não abusou da Srta. Heard.”

“Este caso é sobre o que a Srta. Heard disse em seu editorial. Ela pintou um retrato de si mesma como uma sobrevivente heroica e inocente do Sr. Depp. Uma mulher espancada que finalmente enfrentou seu algoz. A senhorita Heard usou as alegações contra Depp para alavancar seu próprio perfil e avançar em sua própria carreira. Ela se apresentou como o rosto do movimento MeToo, uma representante virtuosa de mulheres que realmente sofreram abusos. A evidência vai mostrar que era uma mentira.”

Vasquez chamou o editorial de “ato de crueldade”. Ela disse: “O Sr. Depp vai para o túmulo sabendo que, faça o que fizer, há pessoas no mundo que acreditam que ele abusou de uma mulher.”

A defesa da ré Amber Heard fez uma grave acusação de violência sexual contra Depp, negada pelo porta-voz do ator:

“Essas alegações fictícias nunca foram feitas no início das alegações de Amber em 2016, e só vieram à tona anos depois, quando ela foi processada por difamação depois de notar em seu editorial que ela foi uma vítima de ‘violência sexual’.”

“As palavras são fundamentais em um caso de difamação e, convenientemente, essa alegação só veio depois disso. Isso segue um padrão de suas afirmações elaboradas e errôneas que continuaram a mudar e evoluir ao longo do tempo, para fins chocar a Hollywood que Amber dominou e usou para explorar um movimento social sério.”

Depoimento de Christi Dembrowski

À tarde, a sessão foi dedicada à inquirição de Christi Dembrowski. Como mencionado anteriormente, ela continuará seu depoimento amanhã. A seguir, trazemos as principais declarações/respostas dadas por Christi a Benjamin Chew.

Sobre seus pais:

“Meu pai era um homem gentil, paciente, amoroso e dócil. Nossa mãe era o oposto, muito tensa, muito nervosa, ansiosa, zangada”, disse ela, acrescentando que seus pais eram “duas personalidades completamente diferentes”.

A reação da ré Amber Heard ao saber que Johnny havia sido contactado para trabalhar com a Dior:

“Johnny disse a Amber que eles estavam interessados nele. A reação dela foi que ela estava incrédula e meio desgostosa porque ela disse ‘Dior, por que a Dior iria querer fazer negócios com você? Eles são sobre classe e estilo e você não tem estilo’. Foi um insulto, meio que levando embora aquele momento. Esse insulto está lá. Eu vi os insultos, várias vezes na verdade.”

Questionada sobre o que Heard diria sobre a aparência física de Depp, Dembrowski disse que o chamaria de “um homem velho e gordo”.

A relação e o casamento entre seu irmão e Heard:

Dembrowski disse ao júri que reservava um quarto de hotel extra para Depp e Heard sempre que viajavam. “Quando eles estavam viajando, eu queria ter certeza de que havia um quarto extra porque não era incomum que eles discutissem.”

Ela acrescentou que Depp seria capaz de “deixar o quarto”, como fazia quando era menino; “Eu vi uma repetição acontecendo na vida. Quando éramos crianças, em discussões e brigas, nossa primeira coisa a fazer era nos esconder e fugir disso. Reconheci o que me parecia um padrão repetido de sua infância. Eu queria ter certeza de que havia um lugar onde ele pudesse fazer exatamente isso”.

Quando ela soube que Depp iria se casar com Heard, ela sentiu medo. “Fiquei arrasada, na verdade, isso ia acontecer tão rápido quanto estava sendo pressionado. Na verdade, tentei convencê-lo a esperar um pouco mais e não se apressar”. Christi disse que a equipe de Depp queria que Heard assinasse um acordo pré-nupcial para “proteger seus filhos”, mas ela não fez isso – eles se casaram sem um.

Vídeo da sessão

Fotos

Via Daily Mail