julho 26, 2021
Diretor de ‘Minamata’ denuncia que distribuidora MGM quer engavetar o filme

Há 7 meses, noticiamos aqui que a MGM havia adquirido os direitos de distribuição de ‘Minamata’ em quatro países: Estados Unidos, Canadá, Alemanha e Suíça. Nos EUA, o filme teria lançamento simultâneo nos cinemas e em plataformas de vídeo sob demanda no início de fevereiro de 2021, o que não ocorreu.

Agora, o diretor Andrew Levitas revela em carta que foi informado pelo chefe de aquisições da distribuidora, Sam Wollman, que o longa não seria promovido, e que “a MGM decidiu ‘enterrar o filme’ (palavras do chefe de aquisições, Sr. Sam Wollman)”.

Levitas enviou a carta para a MGM e para os patrocinadores do filme, a Eugene Smith Foundation e a Minamata Foundation. O cineasta pediu à MGM que reconsiderasse a decisão e acredita que o estúdio não está dando consideração forte o suficiente à importância do assunto, que expôs irregularidades corporativas e indiferença, e relembrou o dano geracional e devastador infligido aos moradores por causa do envenenamento retratado no filme.

Já a MGM deu outra versão para os fatos. Ao ser questionado sobre a carta, um porta-voz teria dito ao Deadline: “O filme foi adquirido para lançamento pela American International Pictures (AIP), divisão da MGM que cuida dos lançamentos simultâneos. ‘Minamata’ continua entre os futuros lançamentos da AIP e, neste momento, a data de lançamento do filme nos EUA é ‘a ser anunciada'”.

Leia abaixo o documento enviado hoje por Levitas.

26 de julho de 2021

Para a equipe MGM Minamata:

Há cerca de um ano, a MGM comprou os direitos norte-americanos do filme Minamata após exibi-lo na Berlinale. A MGM pretendia trazer à luz o sofrimento de milhares de vítimas de um dos mais hediondos incidentes de poluição industrial que o mundo já viu. Ao reexpor sua dor ao compartilhar sua história, esta comunidade há muito marginalizada esperava apenas uma coisa – tirar a história das sombras para que outros inocentes nunca fossem afligidos como eles… e parecia naquele momento, com a parceria da MGM, que um desejo de décadas estava finalmente se tornando realidade.

Agora, imagine a devastação quando souberam na semana passada, que apesar de um lançamento global já bem-sucedido, a MGM decidiu “enterrar o filme” (palavras do chefe de aquisições, Sam Wollman) porque a MGM estava preocupada com a possibilidade de que os problemas pessoais de um ator no filme poderia refletir negativamente sobre eles e que, da perspectiva da MGM, as vítimas e suas famílias eram secundárias em relação a isso.

Em um lembrete gritante das ações da The Chisso Corporation em Minamata e de muitas outras táticas antiéticas de outras grandes corporações, a MGM declarou que cumpriria sua “obrigação legal” e nada mais. Ao fazer isso, a MGM está tomando uma decisão consciente de ferir esses inocentes mais uma vez, pisoteando cruelmente suas vidas, seu legado, seus entes queridos mortos e sua bravura.

Sentamos com o pai de Tomoko Uemura em Minamata, enquanto ele falava com uma voz profundamente magoada. Uma dor que ninguém deveria sentir. A dor de uma criança perdida, uma criança que sofreu todos os dias de sua vida. Uma criança que nasceu entre muitas terrivelmente deformadas porque uma grande corporação sem rosto não cumpriu sua obrigação moral para com a humanidade, decência e retidão. Ele falou com sabedoria, graça e dignidade inimaginável… Sim, vocês estão legalmente dentro de seus direitos de enterrar a história deles, como muitos fizeram antes, mas vocês têm a obrigação moral de fazer melhor do que isso e, no mínimo, imploramos que falem diretamente ao Sr. Uemura e às outras vítimas e ofereça-lhes a dignidade de compreender em primeira mão por que vocês acham que a vida pessoal de um ator é mais importante do que seus filhos mortos, seus irmãos, seus pais e todas as vítimas da poluição industrial e prevaricação corporativa.

Esperamos que vocês reservem um momento para refletir sobre o impacto que as decisões de grandes corporações como a MGM têm sobre outras pessoas e reconheçam sua oportunidade de fazer uma diferença significativa nas vidas daqueles que continuam a sofrer de maneiras insondáveis. Pessoas em todo o mundo são vítimas de empresas que não as valorizam ou não as consideram reais, e vocês têm o poder de ajudar simplesmente cumprindo seu compromisso moral de apoiar este filme.

Como disse o grande lutador pela liberdade Teruo Kawamoto: esta é a luta por toda a humanidade. E todos os envolvidos nesta história e nesta luta imploram mais amplamente à MGM para ser a solução, para inaugurar um ponto de inflexão em tantas vidas e reconsiderar sua decisão de impedir ativamente a distribuição e promoção de Minamata.

Estou anexando uma seleção de imagens de Eugene Smith de 50 anos atrás que picaram a consciência do mundo, bem como um link para uma das vítimas – Shinobu Sakamoto – falando sobre sua experiência https://www.youtube.com/watch?v=nN8c98aFQJ4, na esperança de que o Sr. Wollman e a MGM sejam lembrados de sua humanidade, suas responsabilidades e quão rara é a oportunidade que têm em suas mãos.

Continuamos firmes de que a MGM vai pousar no lado certo dessas questões e, como tal, os cineastas, as vítimas, suas famílias, várias ONGs e organizações governamentais e muito mais – todos aguardam ansiosamente a oportunidade de trabalhar juntos.

Sinceramente,

Andrew Levitas

Diretor

Prof. Andrew Levitas
NYU Gallatin

Metalwork Pictures

Fonte